Contato: 1 dica pra já começar fluindo

Uma vez, em Paris, eu vi uma cena muito rápida, mas que me fez refletir muito. E fiquei totalmente surpreso com o insight que ela me deu. Vi duas pessoas se atrapalharem um pouco e talvez esquecerem de botar o lado humano em primeiro lugar. E isso fez a situação empacar de vez. Tão óbvio e ao mesmo tempo tão fácil de esquecer. Como pequenos detalhes influenciam tanto o fluxo dos processos? Aqui vai uma dica valiosa, se você quiser aplicar a partir de agora:

Links abaixo:

Anúncios

2 opiniões sobre “Contato: 1 dica pra já começar fluindo

  1. Oi Pedro,
    Fico grata por compartilhar contigo essas reflexões, mas sobre esse exemplo que você deu eu acredito que em certos casos a exigência da prévia “bonjour” antes de atender alguém que aparente e explicitamente precisava de ajuda, não é uma necessidade de reconhecimento humano. É na verdade uma imposição pautada pela auto-importância e assegurada pelo fato de que a outra pessoa dependia do seu serviço.
    Não houve, conforme seu relato, qualquer empatia com a necessidade que a pessoa que queria comprar o ticket tinha.
    Na verdade sem ver a situação fica difícil realmente sentir o que poderia ter acontecido, mas trabalhei muito e trabalho com atendimento a público e a noção de que estamos servindo as pessoas e de que elas demonstram diferentes necessidade que precisamos atender, envolve um certo desprendimento de formalidades ou auto-importância.
    Obviamente os cumprimentos não são apenas uma formalidade . Podem e devem ser utilizados nas interações humanas. Mas há algo mais que nesse caso parece ter escapado, que é o senso de urgência de uma necessidade do outro que foi desprezada. Poderíamos imaginar tantas possibilidades para essa urgência que nos deixariam tristes de não ter apoiado no tempo necessário.
    Bem… me fez pensar…beijo
    Cris

    • Oi cris! Desculpa a demora pra te responder. Eu tava dando workshops no International Body Music Festival em Paris. Só agora consegui parar pra escrever de volta. Primeiro de tudo, obrigado pelo comentário. Muito massa a sua reflexão, concordo totalmente com essa questão do senso de urgência de uma necessidade do outro que foi desprezada. Com certeza, se todos se flexibilizarem e praticarem empatia, o fluxo do processo vai acontecer de uma forma bem mais orgânica! Essa automatização dos atendimentos são bem complicadas né? E acho que isso também tem a ver com o processo de treinamento e tratamento dos próprios atendentes. Talvez seja até uma cadeia de eventos que acabam não favorecendo um atendimento humano, com as devidas atenções e cuidados que todos nós merecemos! Valeu!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s